O que é o NEU SC

A qualidade das ações empreendidas no âmbito da assistência à saúde depende, essencialmente, da estrutura oferecida, sendo que a qualificação dos profissionais exerce um papel fundamental para proporcionar a resolutividade exigida. Assim, a capacitação dos profissionais que atuam na área deve estar alicerçada em um projeto didático-pedagógico consistente, com foco na educação continuada.

Avalia-se que a construção desse paradigma implica na formação e treinamento das equipes de saúde em todos os âmbitos da atenção, como: a promoção, atenção básica, assistência pré-hospitalar e hospitalar, em pólos de capacitação permanentes.

No âmbito dos serviços de atenção à saúde, o SAMU se caracteriza como o Componente Pré-Hospitalar Móvel do Sistema de Urgência, sendo igualmente responsável pela Regulação dos Atendimentos de Urgência Pré-Hospitalares do Sistema de Urgência e pela Regulação e Execução das Transferências de Pacientes Graves Inter-Hospitalares em cada região de abrangência. Dessa forma exige-se, por parte dos profissionais envolvidos, a construção de um arcabouço teórico-prático com ênfase nos atendimentos de urgência/emergência.

É relevante considerar que a grade curricular dos cursos de formação dos profissionais que prestam assistência direta ao paciente, como médicos e equipe de enfermagem, não enfatiza, de forma específica, este tipo de assistência. Além disso, predomina uma pluralidade na definição de programas, conteúdos, carga horária e práticas, sem um direcionamento à realidade proposta nas diretrizes do SUS, podendo comprometer a qualidade da assistência.

Salienta-se que os atendimentos de urgência preconizam a construção de uma lógica sistêmica na qual deve predominar a integração e a sincronia nas ações empreendidas entre os diversos profissionais. Portanto, justifica-se a necessidade de contextualizar os profissionais que atuam nesse segmento com ênfase em uma proposta dirigida às situações de rotina.

A capacitação contínua dos profissionais vinculados ao Sistema de Atenção às Urgências e dos profissionais que integram a equipe do SAMU pode ser considerada como um componente essencial para proporcionar a legitimação e a efetividade das ações. Nesse contexto, propõe-se, de acordo com as diretrizes enfatizadas pela Portaria n.º 1864 e 2048, a estruturação dos Núcleos de Educação em Urgências (NEU). Nesse cenário, o NEU se constitui em uma estrutura formalizada para executar a capacitação, a habilitação e a educação continuada dos recursos humanos.

O crescimento nos níveis de mortalidade em decorrência de doenças cardiovasculares e outras afecções clínicas, assim como o incremento na morbi-mortalidade que se segue aos traumas e violências do nosso cotidiano, aliado aos avanços realizados nas áreas de atenção de urgência, tanto ao nível pré como intra-hospitalar, torna imperativa a necessidade de realizar a capacitação dos profissionais envolvidos no atendimento do paciente/vítima. Analisa-se que os treinamentos devem se estender aos procedimentos de suporte básico e suporte avançado de vida, em qualquer nível de atenção às urgências, tendo como foco a homogeneização dos conteúdos e demonstração voltada às práticas de técnicas atualizadas.

A inserção do profissional habilitado designa a construção de uma rede de assistência integrada, hierarquizada e regulada, obtendo-se assim a excelência da qualidade da assistência prestada à comunidade.

A atenção às urgências apresenta os componentes pré e intra-hospitalares que necessitam ser contemplados e valorizados. Assim, o treinamento inicial, a educação continuada, as recapacitações e as avaliações de desempenho dos profissionais devem ser programadas para a obtenção de uma melhor qualidade de atendimento e de resultados, implicando em uma menor morbidade e mortalidade.

Voltar